Scroll to navigation

SERVICES(5) Manual do Programador do Linux SERVICES(5)

NOME

services - lista de serviços da rede Internet

DESCRIÇÃO

services é um arquivo ASCII provendo um mapeamento amigável para humanos entre nomes textuais para serviços da internet, e consignando o suporte para números de portas e tipo de protocolos. Todos programas de rede deveriam pesquisar este arquivo para receber um número de porta (e protocolo) para seus serviços. As rotinas da biblioteca C getservent(3), getservbyname(3), getservbyport(3), setservent(3) e endservent(3) suportam a pesquisa destes arquivos a partir de programas.

Números de portas são designadas pela IANA (Internet Assigned Numbers Authority), e atualmente a política deles é designar ambos os protocolos TCP e UDP quando designando um número de porta. Então, a maioria dos lançamentos deveriam ter duas entradas, mesmo que somente para serviços TCP.

Números de portas abaixo de 1024 (também chamadas de portas "de número baixo") podem ser acessadas somente pelo superusuário (veja bind(2), tcp(7), and udp(7)). Isto é feito para que clientes conectando portas de baixo nível possam confiar que o serviço executado na porta é uma implementação padrão, e não um serviço qualquer rodado por um usuário da máquina. Os famosos números de portas especificados pela IANA são normalmente localizados no espaço do superusuário.

A presença de uma entrada para um serviço no arquivo services não significa necessariamente que o serviço esteja em execução atualmente na máquina. Veja inetd.conf(5) para configurações de serviços da Internet oferecido. Note que nem todos os serviços de rede serão iniciados pelo inetd(8), e assim podem não aparecer em inetd.conf(5). Em particular, servidores de notícias (NNTP) e correio (SMTP) são muitas vezes inicializados pelos scripts de inicialização do sistema.

A localização do arquivo services é definida por _PATH_SERVICES em <netdb.h>. Isto é usualmente selecionado por /etc/services.

Cada linha descreve um serviço, e é da forma:

nome-serviço   porta/protocolo   [aliases ...]
onde:
nome-serviço
é o nome amigável para o serviço que é conhecido por e procurado sob. São diferenciadas letras maiúsculas de minúsculas. Muitas vezes, o programa cliente é nomeado conforme o nome-serviço.
porta
é o número da porta (em decimal) para uso deste serviço.
protocolo
é o tipo de protocolo para ser usado. Este campo deve estar compatível com a entrada no arquivo protocols(5). Valores típicos incluem os tcp e udp.
aliases
é um espaço opcional ou tabulação separa listas de outros nomes para este serviço. Novamente, são diferenciadas letras maiúsculas de minúsculas nos nomes.

Espaços ou tabulações podem ser usadas para separar os campos.

Comentários são iniciados pelo sinal (#) e continuam até o final da linha. Linhas em branco são ignoradas.

O nome-serviço deve iniciar na primeira coluna do arquivo, desde que espaços iniciais não sejam tirados. nome-serviços podem ter qualquer caractere imprimível excluindo espaço ou tabulação. De qualquer forma, um escolha conservadora de caracteres deveria ser usada para minimizar problemas de compatibilidade. Por exemplo: a-z, 0-9, e hífen (-) poderiam ser uma escolha sensível.

Linhas que não combinam com este formato não poderiam estar presente no arquivo. (Atualmente, elas são silenciosamente omitidas por getservent(3), getservbyname(3) e getservbyport(3). De qualquer forma, não seria necessário contar com este comportamento.)

Este arquivo pode ser distribuído sobre uma rede usando um serviço de nomes como Yellow Pages/NIS ou BIND/Hesiod.

Um exemplo do arquivo services pode parecer com:


netstat         15/tcp
qotd            17/tcp          quote
msp             18/tcp          # message send protocol
msp             18/udp          # message send protocol
chargen         19/tcp          ttytst source
chargen         19/udp          ttytst source
ftp             21/tcp
# 22 - unassigned
telnet          23/tcp


ARQUIVOS

/etc/services
A lista de serviços da rede Internet
<netdb.h>
Definição de _PATH_SERVICES

VEJA TAMBÉM

listen(2), endservent(3), getservbyname(3), getservbyport(3), getservent(3), setservent(3), inetd.conf(5), protocols(5), inetd(8)

RFC de números designados, mais recentemente RFC 1700 (conhecida como STD0002).

COLOFÃO

Esta página faz parte da versão 5.07 do projeto Linux man-pages. Uma descrição do projeto, informações sobre relatórios de bugs e a versão mais recente desta página podem ser encontradas em https://www.kernel.org/doc/man-pages/.

TRADUÇÃO

A tradução para português brasileiro desta página man foi criada por André Luiz Fassone <lonely_wolf@ig.com.br>, Roberto Selbach Teixeira <robteix@zaz.com.br> e Rafael Fontenelle <rafaelff@gnome.org>.

Esta tradução é uma documentação livre; leia a Licença Pública Geral GNU Versão 3 ou posterior para as condições de direitos autorais. Nenhuma responsabilidade é aceita.

Se você encontrar algum erro na tradução desta página de manual, envie um e-mail para <debian-l10n-portuguese@lists.debian.org>.

11 abril 2020 Linux