Scroll to navigation

dsc(5) dpkg suite dsc(5)

NOME

dsc - formato Debian de ficheiro de controle de pacotes fonte

SINOPSE

filename.dsc

DESCRIÇÃO

Cada pacote fonte Debian é composto de um ficheiro .dsc, o qual contém um número de campos, em formato deb822(5).

Cada campo começa com uma etiqueta, tal como Source ou Binary (insensível a maiúsculas/minúsculas), seguida do símbolo dois pontos, e o corpo do campo (sensível a maiúsculas/minúsculas a menos que declarado o contrário). Os campos são delimitados apenas por etiquetas de campos. Por outras palavras, o texto do campo pode ter várias linhas de comprimento, mas as ferramentas de instalação irão geralmente juntar as linhas quando processam o corpo do campo (excepto no caso de Package-List, Files, Checksums-Sha1 e Checksums-Sha256 de múltiplos campos, ver abaixo).

Os dados de controle podem estar inclusos numa assinatura OpenPGP ASCII Armored, como especificado em RFC4880.

CAMPOS

O valor deste campo declara a versão de formato do pacote fonte. O valor do campo é usado por programas que actuam no pacote fonte para interpretar a lista de ficheiros no pacote fonte e determinar como desempacota-los. A sintaxe do valor do campo é uma revisão maior numérica (“0-9”), um ponto (“.”), uma revisão menor numérica (“0-9”), e depois um subtipo opcional após um espaço em branco (“ \t”), o qual é especificado numa palavra alfanumérica em minúsculas (“a-z0-9”) em parêntesis (“()”). O subtipo é opcional na sintaxe mas pode ser obrigatória para revisões particulares de formato fonte.

Os formatos fonte actualmente suportados pelo dpkg são 1.0, 2.0, 3.0 (native), 3.0 (quilt), 3.0 (git), 3.0 (bzr) e 3.0 (custom). Veja dpkg-source(1) para as suas descrições.

O valor deste campo determina o nome do pacote, e é usado para gerar nomes de ficheiros pela maioria das ferramentas de instalação.
Este campo dobrado lista pacotes binários, separados por vírgulas, que este pacote fonte pode produzir.

Este campo está agora a ser suplantado pelo campo Package-List, o qual fornece informação suficiente sobre que pacotes binários são produzidos em qual arquitectura, perfil de compilação e outras restrições envolvidas.

Uma lista de arquitecturas e wildcards de arquitecturas separadas por espaços que especificam o tipo de hardware para o qual este pacote por ser compilado. Nomes de arquitecturas comuns são amd64, armel, i386, linux-any, any-amd64, etc.

Note que o valor all destina-se a pacotes que são independentes da arquitectura, e any a pacotes que são dependentes da arquitectura. A lista pode incluir (ou consistir apenas de) o valor especial all. Quando a lista contem a wildcard de arquitectura any, o outro único valor permitido na lista é all.

O valor do campo é geralmente gerado a partir de campos Architecture a partir de debian/control no pacote fonte.

Tipicamente, isto é o número de versão do pacote original seja em que formato o autor do programa usa. Pode também incluir um número de revisão Debian (para pacotes não-nativos). O formato exacto e algoritmo de ordenação estão descritos em deb-version(7).
O nome da distribuição de onde este pacote originou.
Deverá estar no formato "Joe Bloggs <jbloggs@foo.com>", e é tipicamente a pessoa que criou o pacote, e não o autor do software que foi empacotado.
Lista todos os nomes e endereços de email de co-maintainers do pacote, no mesmo formato que o campo Maintainer. Vários co-maintainers devem ser separados por uma vírgula.
O formato da descrição do pacote fonte é um sumário breve e curto na primeira linha (após o campo Description). As linhas seguintes devem ser usadas para uma descrição longa e mais detalhada. Cada linha da descrição longa tem de ser precedida com um espaço, e as linhas em branco na descrição longa têm de conter um único ‘.’ a seguir ao espaço que precede.
O url da página inicial do projecto do autor.
Isto documenta a versão mais recente dos standards de política da distribuição com que este pacote está em conformidade.
O url da uma interface web para explorar o repositório do Sistema de Controlo de Versão.
Estes campos declaram o url do repositório do Sistema de Controle de Versão usado para manter este pacote. Veja deb-src-control(5) para mais detalhes.
Este campo declara que o pacote fonte contem as suites de teste especificadas. O valor é uma lista de suites de teste separadas por vírgulas. Se o valor autopkgtest estiver presente, espera-se a presença de um debian/tests/control, se o ficheiro está presente mas não o valor, então dpkg-source irá automaticamente adiciona-lo, preservando valores anteriores.
Este campo declara a união de todas as dependências de todos os testes, separadas por espaços (campos Depends no ficheiro debian/tests/control), com todas as restrições removidas, e dependências OU achatadas (isto é, convertidas para relações E separadas), excepto para binários gerados por este pacote fonte e seus equivalentes de meta-dependência @.

Fundamento: este campo é necessário porque caso contrário, para puderem obter as dependências de teste, cada pacote fonte teria que ser desempacotado.

Estes campos declaram relacionamentos entre o pacote fonte e pacotes usados para o construir. Eles são discutidos no manual deb-src-control(5).
 package package-type section priority key-value-list
Este campo multi-linha contem uma lista de pacotes binários gerados por este pacote fonte.

O package é o nome do pacote binário.

O package-type é o tipo de pacote binário, normalmente deb, outro valor comum é udeb.

section e priority correspondem aos campos do pacote binário do mesmo nome.

A key-value-list é uma lista is de key=value separados por espaços, a as chaves opcionais actualmente conhecidas são:

A restrição de arquitectura do campo Architecture do pacote binário, com espaços convertidos para ‘,’.
A fórmula de restrição do perfil-de-compilação normalizada a partir do campo Build-Profile do pacote binário, com os ORs convertidos para ‘+’ e os ANDs para ‘,’.
Se o pacote binário for protegido, esta chave irá conter o valor do campo Protected, que é um valor yes.

Supported since dpkg 1.20.1.

Se o pacote binário for essencial,esta chave ir+a conter o valor do campo Essential, que é um valor yes.
 checksum size filename
Estes campos multi-linha contêm uma lista de ficheiros com um sumário de verificação e tamanho para cada um deles. Estes campos têm a mesma sintaxe e diferem apenas no algoritmo de checksum usado: MD5 para Files, SHA-1 para Checksums-Sha1 e SHA-256 para Checksums-Sha256.

A primeira linha do campo valor (a parte na mesma linha que tem o campo nome seguido de dois pontos) é sempre vazia. O conteúdo do campo é expressado como linhas de continuação, uma linha por ficheiro. Cada linha consiste do checksum, um espaço, o tamanho do ficheiro, um espaço, e o nome do ficheiro.

Estes campos listam todos os ficheiros que fazem o pacote fonte. A lista de ficheiros nestes campos tem de corresponder à lista de ficheiros nos outros campos relacionados.

BUGS

O campo Format field conflui o formato para o próprio ficheiro .dsc e o formato do pacote fonte extraído.

VEJA TAMBÉM

deb822(5), deb-src-control(5), deb-version(7), dpkg-source(1).

TRADUÇÃO

Américo Monteiro

Se encontrar algum erro na tradução deste documento, por favor comunique para Américo Monteiro <a_monteiro@gmx.com>.

2021-12-06 1.21.1